Utilizamos cookies próprios e de terceiros para disponibilizar os nossos serviços e recolher informação estatística. Se continuar a navegar no Site, aceita a sua instalação e a sua utilização. Pode alterar a configuração ou obter mais informação sobre a nossa política de cookies.

Áreas
Menu
pt

Dermatite de contacto

É uma inflamação da pele que se produz pelo contacto directo com uma substância irritante.

Qual é a causa?

A causa mais frequente é a provocada por irritantes. Estes podem ser compostos químicos como sabões, detergentes, dissolventes; metais como o níquel, crómio, cobalto, mercúrio, entre outros, medicamentos de aplicação tópica como anestésicos locais, tintas e produtos de cabeleireiro, cosméticos, materiais de roupa, adesivos ou esparadrapos, perfumes, fragrâncias, materiais de borracha, plásticos industriais etc....

Quais são os sintomas?

A dermatite de contacto caracteriza-se por um prurido nas zonas de irritação e erupção da pele. Produz-se posteriormente um enrubescimento com pequenas vesículas com tendência a secar, formando uma crosta e, finalmente, descamando.
Quando o eczema é persistente no tempo, formam-se pequenas fissuras na pele e esta toma um aspecto mais engrossado.

Como se diagnostica?

O diagnóstico baseia-se na avaliação clínica directa da zona afectada, e na determinação do antecedente da exposição a um irritante. Em casos dúbios, podem realizar-se testes com emplastros cutâneos (testes epicutâneos) para determinar o alérgeno responsável pela reacção alérgica.

Como se trata?

A medida principal é evitar o irritante ou alérgeno uma vez identificado, utilizando métodos barreira como luvas protectoras ou outras medidas como sprays.
O tratamento do episódio agudo efectua-se com corticóides tópicos, ou em casos graves, sistémicos.
Devem reforçar-se todas as medidas para evitar a sobreinfecção da pele.