Utilizamos cookies próprios e de terceiros para disponibilizar os nossos serviços e recolher informação estatística. Se continuar a navegar no Site, aceita a sua instalação e a sua utilização. Pode alterar a configuração ou obter mais informação sobre a nossa política de cookies.

Áreas
Menu
pt

Pólenes

Os pólenes são os primeiros alergénios identificados. São as estruturas reprodutoras masculinas das plantas com sementes. Os pólenes com importância alergénica têm como características ser suficientemente pequenos para permanecer suspensos no ar. As condições meteorológicas influenciam muito a intensidade e duração da polinização.

A chuva diminui de forma considerável as concentrações de pólen não só pela precipitação em si, mas também pelo menor número de horas de sol. A falta de sol pode limitar a difusão das partículas, pelo que pode prolongar a presença de níveis elevados de pólenes na superfície. O vento também é um propulsor de grandes quantidades de pólenes. A polinização pode ser progressiva quando a subida das temperaturas primaveris é gradual ou brusca, quando em poucas semanas se passa de temperaturas baixas de 12ºC a temperaturas de 20ºC.

Recomendações para pacientes alérgicos a pólenes:

  • Conhecer os pólenes responsáveis pela doença.
  • Conhecer a época de polinização e a contagem de pólenes a que se é alérgico.
  • Evitar saídas ao ar livre nos dias de máxima polinização ou em dias de muito vento.
  • Em casa, evitar manter as janelas abertas durante as horas de sol e durante a noite. Podem abrir-se ao entardecer. A madrugada é o momento em que os pólenes são mais abundantes.
  • Utilizar filtros adequados para aspiradores e passar o aspirador uma vez por semana.
  • O ar condicionado em casa é útil, se utilizar filtros adequados que evitem a penetração do pólen na habitação.
  • Nas épocas de máxima polinização evitar saídas para o campo, passeios em parques ou jardins.
  • Proteger os olhos do contacto directo com o ar através da utilização de óculos.
  • Em viagens de automóvel evitar as janelas abertas. Utilizar o ar condicionado.
  • Consultar o seu alergologista no caso de ter de fazer uma viagem.
  • Levar consigo medicação sintomática.
  • Hoje em dia é possível melhorar a qualidade de vida através da imunoterapia (vacinas) e conseguir uma cura real e definitiva.